Browsing "Opinião"
21 de outubro de 2015, 15:12 - Douglas
Além do livro, Opinião    2 comentários

Dedinhos aqui, dedinhos ali

Administrando expectativas

Ser pai exige, entre outras coisas, um certo controle de expectativas. É domingo, oito horas da manhã (hoje estreia o horário de verão, então são, na verdade, sete horas). Sou despertado pela introdução de Smoke on the water. Ok, é uma excelente música, mesmo assim, SÃO SETE HORAS DA MANHÃ DE DOMINGO. Descubro que vem de um joguinho, instalado no tablet, que minha filha está jogando incansavelmente.

Aproveitei sua repentina empolgação pela música e propus lhe ensinar a tocar Smoke on the water no violão de verdade. Ela topa! Eu me encanto! Ficamos não mais que cinco minutos com “dedinhos aqui, dedinhos ali, toca assim, toca assado”. E ela olha para mim e diz “pai, eu prefiro tocar no tablet.”
continua…

Send to Kindle
22 de fevereiro de 2014, 08:55 - Douglas
Opinião    5 comentários

Leitura Digital: Experiência Kindle

Existe um ditado que diz: Tolo é aquele que empresta um livro. Mais tolo ainda aquele que devolve. Todo ávido leitor sabe disso. O que demonstra de forma evidente o apreço da besta leitora por seus preciosos livros. Embutido nisso está, não raro, o gosto pelo objeto em si, o cheiro do papel, a textura das folhas, etc.

Dito isso, escrevi meu último post sobre Guerra e Paz, de Tolstói, cuja edição é lindíssima. Capa de veludo e folhas em papel bíblia. Como meu tempo de leitura em casa é extremamente reduzido, me obrigo a ler no metrô e no ônibus. E, quem mora em São Paulo sabe, isso é um grande desafio, pois no horário do rush já é um exagero apenas o cidadão querer estar lá, quanto mais ler. continua…

Send to Kindle
15 de outubro de 2013, 08:00 - Douglas
Devaneios, Opinião    6 comentários

Editor vs Escritor

Aos meus doze, treze anos, quando comecei a considerar cada vez mais séria a hipótese de publicar um livro, procurei saber exatamente qual era o papel da editora na vida do escritor. O problema foi que naquele tempo (me sinto mesmo um vovô dizendo isso) não havia internet e sobre esse mercado permeava uma bruma de mistério. Mesmo hoje em dia, ainda parece algo meio desfocado para se ter uma definição concreta.

Como a maioria das pessoas tem – e vergonhosamente a maioria dos escritores ainda pensa assim – eu também tinha aquela ideia romântica de que, após escrito seu livro, você pegaria seus originais, levaria até uma grande editora, será recebido na sala do editor, com sua enorme cadeira de espaldar de couro e, depois de tomarem um café e rirem de piadas de cunho literário, ele daria uma folheada no seu material e, de olhos apaixonados, diria que esse será seu maior best seller e lhe fará um cheque de cem mil reais…
continua…

Send to Kindle
10 de outubro de 2013, 08:00 - Douglas
Devaneios, Opinião    2 comentários

Velho não! Clássico.

Sei que não vou viver até ler todos os livros. É uma das minhas neuroses. Tanto conhecimento a adquirir e tão pouco tempo… É uma lástima! Por isso, como já disse dezenas de vezes, prefiro me ater aos clássicos. Não apenas porque são garantia de satisfação – embora vez ou outra se tope com um Moby Dick da vida… -, mas também porque neles está contido o supra sumo do conhecimento literário.

Eis que, num certo workshop de literatura, de um autor auto-proclamado estruturador de romances, coaching literário, leitor crítico e um punhado de etcéteras, levanto minha mão inquieta e faço um comentário sobre uma passagem de Dom Casmurro que tinha a ver com o contexto do que o brilhantíssimo palestrante comentava. Então, aquele senhor vira-se para mim e diz: “Não leio este tipo de literatura. Prefiro os autores contemporâneos.” continua…

Send to Kindle
Páginas:123»