O jeito Pixar de pensar os conflitos de uma história

13 de março de 2016
in Category: Dicas, Escrita
0 618 0
O jeito Pixar de pensar os conflitos de uma história

O jeito Pixar de pensar os conflitos de uma história

por K.M. Weiland


(transcrição do vídeo)

Conflito, conflito, conflito! É como um mantra para escritores de ficção, certo? E todos nós assentimos em concordância, porque todos nós sabemos que conflito é parte integrante de uma história bem contada. Mas mesmo que todas as pessoas passem por conflitos em seu aspecto mais óbvio – a discussão – entender seu uso e sua implementação numa história às vezes é um pouco mais difícil.

Hoje, vou usar uma lição fabulosa sobre bons conflitos que aprendemos com a obra-prima da Pixar, Toy Story.

toy-story

Conflitos – Lição 1: Conflitos se referem a obstáculos, não discussões

Esta é uma lição dupla, e eu só só te contar a primeira parte. É simplesmente isto: conflitos na história na verdade não tem a ver com discussões entre personagens. Conflitos são nada mais que dar um objetivo a seu personagem e colocar um obstáculo em seu caminho. O personagem está no ponto A, a meta está no ponto B. E o obstáculo (conflito)? Bem no meio.

Conflitos – Lição 2: Conflito precisa ser composto

No nosso exemplo, quero te lembrar de uma cena na terceira parte de Toy Story, em que Sid, o garoto maligno da casa ao lado, amarra Buzz a um foguete e o leva para o quintal para lançá-lo – e deixa Woody trancado no quarto.
Salvar Buzz é o objetivo, e a porta fechada é o obstáculo que cria o conflito. Bem simples, não? E esse conflito leva Woody a arquitetar todo um plano que se inicia destrancando a porta.
Agora, digamos que superar essa primeira parte do conflito e chegar ao primeiro objetivo foi o final da cena. Nada errado nisso. Está be estruturado. Mas complicações são a base da boa ficção e de bons conflitos. Então nao deveríamos ficar surpresos quando os mestres contadores de histórias da Pixar não pararam por aí.
O que está esperando por Woody do outro lado da porta quando finalmente ele consegue abri-la? Scud, o bull-terrier psicopata. Um obstáculo ainda mais perigoso!
E assim, o conflito “sobe de nível”, e a história pode continuar se desenrolando.
E essa é a Lição 2.

scud - toy story

Send to Kindle
, , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *