Tagged with "umberto eco Archives | Cafeína Literária"
14 de julho de 2015, 21:45 - Cristine
Resenhas    sem comentários

Número Zero, de Umberto Eco

Número Zero
Umberto Eco

Um grupo de redatores, reunido ao acaso, prepara um jornal. Não se trata de um jornal informativo; seu objetivo é chantagear, difamar, prestar serviços duvidosos a seu editor. Um redator paranoico, vagando por uma Milão alucinada (ou alucinado numa Milão normal), reconstitui cinquenta anos de história sobre um cenário diabólico, que gira em torno do cadáver putrefato de um pseudo-Mussolini. Nas sombras, a Gladio, a loja maçônica P2, o assassinato do papa João Paulo I, o golpe de Estado de Junio Valerio Borghese, a CIA, os terroristas vermelhos manobrados pelos serviços secretos, vinte anos de atentados e cortinas de fumaça — um conjunto de fatos inexplicáveis que parecem inventados, até um documentário da BBC mostrar que são verídicos, ou que pelo menos estão sendo confessados por seus autores.
(fonte: 1a. orelha do livro)

continua…

Send to Kindle
28 de junho de 2013, 16:22 - Cristine
TAG    2 comentários

Palavras cruzadas

Aproveitando o início das férias, mais uma Tag para descontrair. Além do mais, sugestões de leitura (ou não) são sempre bem-vindas.

Esta foi inventada pela Ines, do canal InesBooks, para comemorar o aniversário do canal. Ines convidou dois amigos leitores para responderem a tag com ela e o vídeo ficou bastante divertido com a interação entre eles.

A Tag chama-se Palavras Cruzadas e os nomes dos itens são bem humorados e criativos. continua…

Send to Kindle
23 de janeiro de 2013, 13:00 - Douglas
Listas    sem comentários

Rocambole de Palavras: Os Top 5 Herméticos

“De um dos cabeços da Serra dos Órgãos desliza um fio de água que se dirige para o norte, e engrossado com os mananciais que recebe no seu curso de dez léguas, torna-se rio caudal. É o Paquequer: saltando de cascata em cascata, enroscando-se como uma serpente, vai depois se espreguiçar na várzea e embeber no Paraíba, que rola majestosamente em seu vasto leito.
Dir-se-ia que, vassalo e tributário desse rei das águas, o pequeno rio, altivo e sobranceiro contra os rochedos, curva-se humildemente aos pés do suserano. Perde então a beleza selvática; suas ondas são calmas e serenas como as de um lago, e não se revoltam contra os barcos e as canoas que resvalam sobre elas: escravo submisso, sofre o látego do senhor.”

continua…

Send to Kindle
12 de janeiro de 2013, 08:52 - Cristine
Resenhas    sem comentários

Penitenziagite!

Il nome della rosa (O nome da rosa)
Umberto Eco

“Stat rosa pristina nomine, nomina nuda tenemus”
(“A rosa antiga permanece no nome, nada temos além dos nomes”)

(resenha originalmente publicada no Leitor Cabuloso, em 05/01/2013)

Apesar de já ter resenhado alguns livros de Umberto Eco, nunca resenhei meu livro predileto: O nome da rosa. Citei-o várias vezes em outros textos, como meu parâmetro de comparação para as leituras posteriores. Admito que deveria encarar cada livro independentemente, mas é difícil não tecer comparações, já que a leitura do primeiro foi tão marcante. É uma obra excepcional e de todos os outros livros de Eco que li depois esperava atingir o mesmo enlevo causada por ela – o que ocorreu apenas com o mais recente, O cemitério de Praga (post aqui). Diz-se que Eco inaugurou o chamado “suspense erudito” e posso afirmar sem dúvida que foi O nome da rosa que me fez descobrir essa vertente da ficção histórica. A partir de sua leitura, passei a me interessar por estórias que mesclam fatos reais e personagens fictícios. Não há maneira mais prazerosa de se aprender História.
continua…

Send to Kindle
Páginas:12»