Guia de sobrevivência na Bienal

10 de agosto de 2014
in Category: Além do livro, Dicas
6 1304 0

Guia de sobrevivência na Bienal

Faltam menos de 15 dias para o ínicio da Bienal do Livro – São Paulo – 2014. Diferente de mim, que o frequento desde meus 12 anos de idade sem perder uma edição, há sempre marinheiros de primeira viagem ou pouco habituados ao evento – sejam blogueiros, blogueiros, leitores ou curiosos. Seguem aqui algumas dicas para os que pretendem se aventurar no mar de livros que será montado no Anhembi.

sobrevivência na Bienal

(foto: facebook.com/Bienaldolivrosp/)

Como chegar?

A menos que você esteja disposto a desembolsar R$ 30,00 ou R$ 40,00 – respectivamente, motos e carros – para “desfrutar” do estacionamento do Anhembi, deixe seu veículo em casa e dê preferência ao uso do metrô ou ônibus. Há inúmeras linhas de ônibus que passam por ali, informe-se no site da SPTrans. Mas a maneira mais fácil é utilizar o metrô e descer na estação Tietê (todos os dias da semana) ou na estação Barra Funda (apenas nos finais de semana). Nessas duas estações, há transporte gratuito (ônibus) disponível até o local do evento, iniciando uma hora antes da abertura e encerrando uma hora depois do fechamento da feira.

Quando ir?

Prefira chegar o mais cedo possível. Eu, como veterana, sempre me programo para estar lá no horário da abertura, por dois motivos: filas menores nas bilheterias e menos pessoas lá dentro. Em geral, a feira começa a encher depois do almoço, a partir das 14:00. Considerando que você permaneça lá dentro por 6 horas – não é um exagero, pois há muito para ver – estará saindo de lá às 16:00, quando estiver começando a ficar lotado demais. Se possível, evite os finais de semana. Mas se não houver alternativa, esteja preparado e munido de muita, muita paciência – suco de maracujá ajuda.
P.S.: sobre as filas nas bilheterias, há como evitá-las adquirindo o ingresso com antecedência no site Tickets for fun. Não costumo fazer isso, pois em geral não tenho certeza do dia em que irei. Mas é uma boa alternativa.

bienal 2012

(foto: estadao.com.br)

Bolsa, mochila ou mala de rodinhas?

Tudo depende do seu perfil de visitante.

Leitor Nível 1 (Easy reader)

Para este, basta uma bolsa. Não pretende ficar mais do que 3 horas no eventos, passeando aleatoriamente. Vai comprar uns poucos livros (4 ou menos) que podem tranquilamente ser carregados em suas respectivas sacolas. Se der, pega um autógrafo. Se calhar, participa de alguma das atividades culturais. Tudo bem descompromissado.

Leitor Nível 2 (Medium reader)

Precisa de uma mochila, já que sua intenção é permanecer no evento de 4 a 6 horas, aproveitar várias promoções, comprar muito livros (de 5 a 8), inclusive completar algumas de suas coleções, e pegar autógrafo de alguns autores. Uma mochila espaçosa é suficiente tanto para levar seus livros a serem autografados quando para guardar parte dos livros adquiridos.

Leitor Nível 3 (Hard reader)

Sem dúvida, precisa de uma mala se não quiser voltar para casa todo quebrado e com dores pelo corpo todo por carregar peso em excesso. Sua ideia é permanecer no evento de 6 a 8 horas, aproveitar o máximo de promoções, comprar muito livros (10 ou mais), completar a maioria de suas coleções e pegar autógrafo de vários autores. A quantidade de livros adquiridos e a autografar é grande demais para caber numa simples mochila, mesmo numa daquelas de trilha.

Leitor Nível 4 (Ultimate reader)

Uma mala grande ou uma combinação de mochila+mala. Para este, o céu é o limite, já que tem a intenção de permanecer no evento por mais de 8 horas – ou ir em mais de um dia – , aproveitar todas as promoções e comprar muitos, muitos livros (15 ou mais), completar todas as suas coleções e pegar autógrafo de todos os autores que estiverem no evento, cujas obras estejam em sua estante.

Eu uso mochila. Mas trapaceio um pouco, já que meu filho sempre vai comigo e o convenço a ir de mochila também. Dividir a carga é sempre mais agradável.

O que levar?

Independente de usar bolsa, mochila ou mala, é uma boa ideia levar alguns itens:

  • garrafa d’água: há bebedouros lá, mas ficam distantes um do outro. Ter a garrafinha facilita. E comprar água lá – assim como quaisquer comes & bebes – não é muito recomendável devido ao preço elevado.
  • petiscos/lanches: há praça de alimentação, mas como já comentei os preços não são atraentes. Provavelmente será inevitável fazer uma refeição por lá, mas é mais econômico evitar comprar petiscos, já que o custo-benefício costuma ser ainda pior que o das refeições. Rapidamente se gasta 40, 50 reais com picolés, raspadinhas, açaí, etc.
  • analgésicos e lenços de papel (não necessitam de justificativa)
  • lista de compras: exceto pelo leitor Nível 1, todos os visitantes certamente fazem uma lista do que pretendem adquirir por lá, mas não custa nada incluir um lembrete aqui no checklist.

bienal 2012

O que vestir/calçar?

Conforto é a palavra de ordem. Roupas e sapatos confortáveis são a melhor escolha. Principalmente os sapatos. Nada de calçado novo ou que ainda não laceou no seu pé. Lembre que a maior parte do tempo você estará em pé ou andando. As filas são uma constante. Para entrar nos estandes, para pagar, para pegar autógrafo, para tirar foto com o autor, para comprar comida/bebida. Sentar? Com sorte você conseguirá fazê-lo rapidamente na hora de comer alguma coisa na praça de alimentação.

Como se programar?

Quase todas as editoras estão divulgando em suas fanpages quais autores estarão presentes e os horários. Alguns autores também têm divulgado e convidados os leitores para bate-papos e sessões de autógrafos. E para saber os horários de todas as atividades, palestras, mesas, encontros nos espaços culturais montados lá – Anfiteatro, Arena Cultural, BiblioSesc, Cozinhando com Palavras, Escola do Livro, Espaço Imaginário, Salão de Ideias, Seminário de Bibliotecários – basta acessar o site da bienal. Comumente, na entrada do evento, são distribuídos folhetos com essas informações, mas é sempre bom ir já sabendo o que se pretende fazer.

Vai pegar autógrafos?

Ziraldo autografando

Ziraldo autografando

Então o mantra ‘chegue cedo’ é obrigatório, pois a maioria das editoras distribuirá senhas horas antes do horário marcado para o início da sessão de autógrafos. Tenha paciência, pois a senha em mãos não significa que não haverá filas. Não esqueça: filas são inerentes ao evento. Se estiver em grupo, revezem-se, afinal ninguém merece ficar mais de uma hora lá parado – literalmente.

Como economizar?

Antes de mais nada, compre apenas o que você pretende ler. Pode parecer óbvio, e é. Mas às vezes, difícil de cumprir. Não compre livros só por custarem apenas R$ 5,00. Compre o que te interessa.
Além disso, cace promoções. Praticamente todas as editoras fazem as chamadas “promoções do dia”. Fique de olho nelas, pois em alguns casos os descontos são enormes. E o último final de semana costuma ser recheado de promoções, já que muitas editoras querem “desovar” o estoque restante.
Independente do que for comprar, não custa nada fazer uma consulta rápida no Buscapé ou similares para conferir se realmente o preço vale a pena.

Tem um blog? vlog? clube de leitura?

Marque um encontro e aproveite para conhecer seus colegas “de profissão”. Não se esqueça de levar material de divulgação. Marcadores de livros e cartões de visita são a melhor opção.

bg_bienal

Send to Kindle
, , , ,

6 comments on “Guia de sobrevivência na Bienal”

  1. Letícia disse:

    Ah, sempre quis ir na Bienal, mas não moro em SP 🙁 Quem sabe um dia, haha

    1. Cristine disse:

      Olá Letícia,
      Para quem curte livros vale muito a pena 🙂

      Abraços e boas leituras.

  2. Gisela disse:

    Adorei as dicas. A última então, nem se fala.
    Muitos grupos estão se programando para trombar pela bienal, e eu preciso pensar em algo para divulgar meu bloguito :b

    1. Cristine disse:

      Olá Gisela,
      Que bom que curtiu. A maior parte dos grupos está aproveitando eventos já agendados – sessões de autógrafos, mesas de debate, etc. – para usar como ponto de encontro.
      É uma boa estratégia 😉

      Abraços e boas leituras.

  3. Ivi Campos disse:

    Você sabe dizer que hora abre a bilheteria da Bienal?

    1. Cristine disse:

      Olá Ivi,
      Costumam abrir no mesmo horário do início do evento.

      Abraços e boas leituras 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *