7 de agosto de 2009, 14:35 - Douglas
Resenhas    3 comentários

Cem Anos de Solidão

Há meses que este livrinho me provocava da prateleira, rindo pra mim com seu arrogante subtítulo “Ganhador do Prêmio Nobel de Literatura”. Sempre tenho muito receio sobre ganhadores de prêmio, títulos rebuscados ou certificações que traduzem que o indivíduo/objeto é muito mais especial ou tem algo de muito bom que o faz merecedor do título. Em fim, segurei-o entre as mãos, encarei-o e desafiei: “Vamos lá, me mostre que você fez por merecer esse Nobel!”. Abri a capa e dei uma espiada na orelha, movido pela curiosidade que me corroia (em geral não leio as orelhas antes de terminar o livro, pois há imbecis que escrevem o final ali). Dizia “O colombiano Gabriel Garcia Marquez (1928) é o último grande contador de histórias do século XX – e, até prova em contrario, da própria literatura ocidental.”

Fechei-o e o encarei novamente dizendo: “É uma afirmação e tanto. Você tem certeza que quer mesmo continuar com isso?”. E o livro respondeu com ar de tranqüilidade: “Ora, vamos! Leia-me e tire suas conclusões.”
continua…

19 de julho de 2009, 08:36 - Douglas
Resenhas    2 comentários

Hitler & Churchill: Os Segredos da Liderança

Hitler & Churchill: Os Segredos da Liderança
Andrew Roberts

Este livro é um trabalho esplêndido. O Sr. Andrew Roberts remonta o cenário tempestuoso da Segunda Guerra e compara as posturas dos dois maiores protagonistas do episódio. Desde suas primeiras aparições públicas, até o final de suas carreiras.

Suas explicações, extremamente coerentes e são galgadas em referências bibliográficas que ele cita constantemente a fim de tranqüilizar o leitor de que suas palavras tem como base algo tangível.
continua…

22 de junho de 2009, 14:17 - Douglas
Resenhas    2 comentários

Musashi

Musashi
Eiji Yoshikawa

Musashi é, sem sobra de dúvidas, um clássico. Uma obra peculiarmente ilustre, levando-se em conta suas características e o legado que vem formando até os dias de hoje. Ainda não havia visto um texto que demonstrasse de forma tão óbvia e tão explícita virtudes como honra, dignidade, perseverança, disciplina… Em fim, bases morais imprescindíveis para qualquer indivíduo, sobretudo para os guerreiros samurais.
continua…

26 de maio de 2009, 15:09 - Douglas
Crônicas    4 comentários

Nietzsche e a Compaixão

Ao ler pela “enésima” vez o livro O Anti-Cristo de Nietzsche, tive a mesma impressão das outras vezes. Quando fala de compaixão, Nietzsche não estava errado, mas não estava necessariamente certo. Parece apenas que seu raciocínio estava incompleto.
continua…

11 de maio de 2009, 14:17 - Douglas
Resenhas    2 comentários

Lolita

Lolita é impressionante. Paradoxal. Ao mesmo tempo em que o leitor passa a amar e admirar o Sr. Humbert Humbert (personagem principal) pela sua profundidade sentimental, seu eruditismo, também o odeia da forma mais suja e inexorável como a todo pedófilo.

Ele descreve as mais belas declarações de amor, mais apaixonadas, mais sinceras… É de se umedecer os olhos ao ver o protagonista humilhado e rastejando aos pés de sua amada. Amada esta que o seduz, o domina, faz dele seu escravo e tira-lhe – além de muito dinheiro – toda sua dignidade, mantendo-o um apaixonado da primeira à última palavra do livro.
continua…

Páginas:«1...9192939495969798»