Browsing "Parceria"
11 de agosto de 2013, 11:06 - Cristine
Parceria, Resenhas    sem comentários

A síndrome [E]

A síndrome E
Franck Thilliez

Um estranho caso vem atrapalhar as férias de verão de Lucie Henebelle, tenente de polícia em Lille, onde mora com as filhas gêmeas. Um de seus ex-namorados ficou cego depois de assistir a um estranho vídeo.
Simultaneamente, o comissário Franck Sharko, veterano da Divisão de Homicídios e analista comportamental na Divisão de Repressão à Violência, tenta curar uma esquizofrenia crônica. Mesmo assim, a pedido de seu superior e contra a vontade de Eugénie, a garotinha imaginária que o segue desde a morte de sua mulher e de sua filha, Sharko decide acompanhar a investigação de um crime violento. No norte da França, cinco cadáveres não identificados foram encontrados sepultados a dois metros de profundidade. Os corpos foram mutilados e estão em estado avançado de decomposição.
(fonte: www.intrinseca.com.br)

continua…

Send to Kindle
22 de julho de 2013, 22:01 - Douglas
Parceria, Resenhas    sem comentários

O Oceano no Fim do Caminho

Tentei colecionar quadrinhos quando era criança. Porém, não era fácil conseguir dinheiro para comprá-los. Além disso, as editoras sacaneavam, distribuindo a continuição das histórias entre vários títulos, obrigando que se comprasse diversos exemplares no mesmo mês para que pudéssemos acompanhar. Acabei desistindo. Foi nesta época, entretanto, que ouvi falar de Neil Gaiman. Famoso pelo seu indelével Sandman. O super-herói sombrio e que acabou por se tornar ídolo cult.

Embora desconhecesse seu trabalho como quadrinista, sempre o tive como sinônimo de obra profunda, filosófica e sombria. Gêneros que fazem parte do meu gosto literário. Então, quando surgiu entre as opções que a nossa parceira Intrínseca oferece para lermos uma obra de Gaiman, não tive dúvidas em optar por ele. continua…

Send to Kindle
23 de junho de 2013, 09:30 - Cristine
Parceria, Resenhas    3 comentários

Vida após a morte

Vida após a morte
Damien Echols

Aos dezoito anos, Damien Echols foi apontado como líder de um grupo satanista e principal responsável pelo assassinato de três garotos de oito anos em West Memphis, no Arkansas. Após um julgamento marcado por falsos testemunhos, provas manipuladas e histeria pública, em 1994 seus amigos Jason Baldwin e Jessie Misskelley foram condenados à prisão perpétua e Damien foi enviado ao Corredor da Morte, onde aguardaria sua execução. As irregularidades gritantes no desenrolar do processo, bem como a apatia dos advogados de defesa, chegaram ao conhecimento do público dois anos depois, por meio do documentário Paradise Lost: The Child Murders at Robin Hood Hills.
fonte: www.intrinseca.com.br

continua…

Send to Kindle
23 de maio de 2013, 10:29 - Douglas
Parceria, Resenhas    1 comentário

Garota Exemplar

Num curso de “Estruturação de Romances”, ministrado pelo Felipe Colbert, ele comentou sobre a dificuldade de se desenvolver um personagem do sexo oposto (haja vista o seu super-mais-ou-menos A Última Nota). No cotidiano, estamos arraigados, conscientes ou não, ao nosso gênero. Colocar-se num ponto avesso é bastante difícil. Entender a psique, as motivações e os anseios de outrém já é complicado, quando do outro sexo, é ainda pior. Não à toa casais brigam e têm dificuldade de entender as neuroses um do outro… Como leitor, é comum notar esse desequilíbrio em personagens.

Este é um dos pontos que torna Garota Exemplar, de Gillian Flynn, tão magnífico. O livro, que conta a história de um casal de jornalistas, cuja esposa desaparece, ficando como rastros as evidências de um sequestro que apontam para o marido, não tem esse desequilíbrio. Ora narrado pelo marido, ora pelo diário da esposa desaparecida, é incrivelmente verossímil.
continua…

Send to Kindle
31 de março de 2013, 08:54 - Douglas
Parceria    1 comentário

Parceiros na Paixão

Ah! A paixão. Aquele sentimento inequívoco que ri ante os obstáculos da vida. Que é a força motriz para nossas obstinações e obsessões, que nos leva à aventura ou à desventura. A flâmula das grandes obras. Não era então Shakespeare apaixonado pelas palavras? Não era também Michelangelo pela pintura? Não o era Napoleão pelo poder? Hawking, pela física? Mozart, música?

Já falei sobre isso noutro post. Que estes indivíduos, tão bem sucedidos em suas profissões, só o foram por serem – indubitavelmente – apaixonados por elas. E não por menos surgiu este blog. Por paixão à arte, à literatura, ao cinema, à Cristine. continua…

Send to Kindle
Páginas:«123456789